Loading...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Crianças e os gatos

Apesar da sua natureza independente e pouco inclinada ao manuseamento, até o gato mais rebelde deixa que uma criança lhe faça todo o tipo de diabruras. Desde os primeiros meses de vida que o menino se sente fascinado pelo gato, segue com curiosidade os seus movimentos e fica satisfeito quando o animal se aproxima e se esfrega contra ele. Em breve se aperceberá das diferenças entre o animal de verdade e os seus peluches, mas só a partir do décimo mês a criança estará apta a acariciar com movimentos coordenados o seu peludo companheiro de brincadeiras. Precisamente, graças à convivência com um animal a criança desenvolverá melhor a capacidade de se familiarizar com o mundo exterior.













Gatos

Características dos gatos
O gato é um mamífero que pode viver de 15 a 39 anos. Com eles, sua casa vai ficar livre de ratos, baratas e outros animais, que os gatos se encarregam de eliminá-los, tendo, além disso, uma vida livre, mas sempre voltando para o seu lar. Não precisam tomar banho, pois os gatos possuem a língua áspera, como os demais felinos, que serve para fazer sua limpeza completa.
Muito importante também é ressaltar que aquele "ronquinho" que o gato dá não é asma, como algumas pessoas imaginam. Aquele "ronquinho" (às vezes bem alto) nada mais é do que a forma de o gato se expressar, assim como o cachorro balança o rabo mostrando que está satisfeito com a presença do dono.

Personalidade
Cada gato tem o seu jeito próprio de ser. Tem aquele que é sempre assustado, aquele paradão, o carinhoso e outros. Há gatos que emitem sons como se estivessem falando, geralmente pedindo comida. Quando o dono não lhe dá importância, viaja freqüentemente, deixando-o sozinho, acaba perdendo a amizade do gato. Só se consegue a amizade do gato, quando seu dono lhe tratar com carinho novamente.















Cuidados com seu gato

Quando você comprar um gato, faça um exame preliminar, que indicará se o gato tem algum problema de saúde.
Limpe os olhos com algodão umedecido em água boricada ou água morna (não quente). Use um algodão diferente para cada olho. Não use cotonete para não correr o risco de ferir o animal com a haste.
Observe as orelhas do gato em busca de cera excessiva ou uma infecção, o que poderia indicar a presença de carrapatos. Utilize um cotonete (umedecido em óleo de bebê) por orelha, para retirar o excesso de cera e sujeira da cartilagem exterior. Cuidado e não insira o cotonete no canal auditivo!
Veja se as gengivas estão inflamadas (gengivas saudáveis são de coloração rosa pálida), veja se há tártaro (uma placa marrom na base do dente), dente quebrado, mau-hálito ou qualquer outro problema. A maioria destes problemas requer cuidado veterinário. Os dentes devem estar brancos, sendo que gatos adultos podem ter dentes ligeiramente amarelados pelo tártaro.
Sua barriguinha deve estar cheia mas não muito estufada (caso esteja assim, pode ser sinal de vermes). Observe se há algum sobressalto (pode ser hérnia umbilical), cheque as patas por alguma deformidade.
Veja se o gato não está mancando ou com algum outro problema.
Sua pelagem deverá ser suave e sem bolas de pêlos embaraçados. Veja se a pele tem caspa ou áreas com falta de pêlos (isso é sinal de micose). Veja também a presença de pulgas (elas deixam pequenos pontos pretos) e outros parasitas.
Procure sinais de diarréia ou vermes. O ânus, e a vulva (se for fêmea) devem estar limpos.
Apare-as usando um cortador de unhas (trim) ou alicate próprio para unhas de animais. Corte sempre apenas a pontinha da unha, e tenha certeza de que não está atingindo a parte rosada que é extremamente sensível.
Dê sempre uma boa alimentação, para seu gato ter sempre muita saúde. Rações secas e úmidas de qualidade poderão ser encontradas nos Pet Shops. Se o gato é filhote use a própria para a idade dele.
A água deverá sempre estar disponível, limpa e fresca.
Obs.: Seu gato não tem 7 vidas...! Fale com o veterinário antes de dar qualquer medicamento.